fevereiro 25, 2013

Capítulo 3 - Clara

"Os dois vultos me pegam pelo braço e me levam para um túnel. São muitos gritos… Gritos de desespero. Estou ficando louca, são insuportáveis, quero sair daqui logo, não quero ficar aqui."

#Não deixe de acompanhar essa história... eh muito forte!




 


Com um lindo sorriso, ele se abaixa e me devolve as pulseiras.
- Quer dançar? Você está linda, quer me acompanhar nesse cigarro?
- Claro que sim.
Ele é muito direto. Eu gosto disso, mostra que é de atitude.
Sorri para ele e jogando meus cabelos para o lado. Faço o que ele quiser para tê-lo e ser popular.
É um cigarro de maconha, e eu nem conhecia. Não posso negar a essa altura do campeonato. Dou a primeira tragada: a sensação é melhor do que dançar. Sinto-me relaxada, um bem-estar e muita vontade de rir. Fico rindo o tempo todo, eu estou bem, muito bem.
Minha mãe pensa que estou em um aniversário pacato. Eu estou realmente vivendo a vida, isso sim é viver a vida!!!

-*-

15 de Outubro de 1988, 23h45

Os dois vultos me pegam pelo braço e me levam para um túnel. São muitos gritos… Gritos de desespero. Estou ficando louca, são insuportáveis, quero sair daqui logo, não quero ficar aqui.
- Você nos procurou, agora não vai mais sair daqui, iremos mostrar o seu lugar.
- Não, eu não procurei vocês, sou evangélica!!
Eles dão gargalhadas e me batem. Dizem que são eles que me faziam dormir na igreja e ter um enorme desejo de sair logo da casa do “Homem de Branco”.
- Você nunca quis o Homem de Branco, então foi fácil lhe trazer para o inferno.
-Inferno!!! Como assim, inferno?!
Tento fugir. Eles me soltam, mas é em vão, todo lugar que eu corra há fogo, um cheiro muito forte de enxofre, pessoas gritando por todo lado.
Os gritos não são de desespero, são mil vezes de desespero. Por todo lugar que eu vá há alguém gritando e rangendo os dentes. Sim, rangendo os dentes. A dor das pessoas é tanta que seus dentes ficam rangendo.
Há bichos por todos os lados, vermes comendo as pessoas. – Meu Deus, não quero ficar aqui.
Nesse momento eles me pegam novamente, querem que eu me ajoelhe… Agora eu pertenço ao reino do deles…
-*-

23 de fevereiro de 1988, 22h49

Provo da maconha, acho esta sensação incrível, quero mais. Hoje eu tinha que chegar cedo a minha casa, afinal, aniversário de amiga termina cedo, ou pelo menos antes das onze da noite.
Marco com o rapaz de sairmos outro dia, eu vou inventar algo para a minha mãe: ela cai em todas…

Continua...
Méuri Luiza
Confiando em Deus

0 comentários:

Postar um comentário